terça-feira, 31 de agosto de 2010

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

ROMANTISMO NO BRASIL

Marco inicial

Publicação de "Suspiros Poéticos e Saudades", de Gonçalves de Magalhães, em 1836.

Marco final

Publicação de "Memórias Póstumas de Brás Cubas", de Machado de Assis, em 1881, que inaugura o realismo.

Contexto histórico

A Independência é o principal fato político do século 19 e vai determinar os rumos políticos, econômicos e sociais do Brasil até a Proclamação da República (1889). Merece destaque também o Segundo reinado, em que o país conheceu um período de grande desenvolvimento em relação aos três séculos anteriores. Apesar disso tudo, o Brasil continuou um país fundamentalmente agrário, cuja economia se baseava no latifúndio, na monocultura e na mão de obra escrava.

Contexto cultural

Recém independente, o país procura afirmar sua identidade, tentando desenvolver uma cultura própria, baseada em suas raízes indígenas ou sertanejas. No entanto, isso se faz a partir da reprodução dos modelos do romantismo europeu, o que reflete o caráter intrinsecamente contraditório do romantismo brasileiro.

Características de estilo

De maneira geral, predominam as mesmas características do romantismo europeu. Contudo, vale mencionar a busca de autores como Gonçalves Dias e José de Alencar de "abrasileirar" a língua portuguesa. Também merecem destaque o Indianismo (que ganhou forma através da prosa romântica e da poesia do Romantismo) e o regionalismo, expressões tipicamente brasileiras do nacionalismo romântico. Com o Romantismo tem início da prosa de ficção brasileira.

O Romantismo proclama a liberdade de criação e de expressão.

São características do Romantismo:

• Liberdade de criação e de expressão
• Nacionalismo
• Historicismo
• Medievalismo
• Tradições populares
• Individualismo, egocentrismo
• Pessimismo
• Escapismo e Evasão no tempo, no espaço e na morte
• Crítica social

Veja algumas tendências e seus principais temas:

* Nacionalismo, historicismo e medievalismo: Exaltação dos valores e os heróis nacionais, ambientando seu passado histórico, principalmente o período medieval.

* Valorização das fontes populares – o folclore: Os autores buscavam inspiração nas narrativas orais e nas canções populares, manifestação do nacionalismo romântico.

* Confessionalismo: Os sentimentos pessoais do autor em dado momento de sua vida são expressos nas obras.

* Pessimismo: A melancolia do poeta inglês Lord Byron se faz presente em todas as literaturas, portanto há a presença do individualismo e do egocentrismo que adquirem traços doentios de adaptação.

O “mal do século” ou tédio de viver conduz:

- ambiente exótico ou passado misterioso
- narrativas fantásticas (envolvendo o sobrenatural)
- morte (como última solução)

* Crítica Social

O Romantismo pode assumir um caráter combativo de oposição e crítica social, observamos sua ocorrência na sua última fase.

As gerações românticas:

* Primeira geração

Os primeiros autores conservavam características clássicas (apego às regras da produção literária).
O principal tema no Brasil foi o indianismo.
Autores: Gonçalves Dias, Gonçalves de Magalhães e José de Alencar

* Segunda geração

Período do Ultra-Romantismo: exagero pelo subjetivismo e emocionalismo (o tédio, devaneio, sonho, desejo da morte estão sempre presentes).
Autores: Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, Junqueira Freire, Fagundes Varela

* Terceira geração

Essa fase antecipa características da Escola Realista, que substituirá o Romantismo. O subjetivismo e o emocionalismo cederão lugar para uma literatura de tom exaltado, baseada nos grandes debates sociais e políticos da época.
Autores: Castro Alves, Sousândrade

PROSA ROMÂNTICA

- Joaquim Manuel de Macedo – “A moreninha”
- José de Alencar – “Iracema” e “O Guarani” e os contos de destaque “A Viuvinha / Cinco Minutos”
- Bernardo Guimarães – “A Escrava Isaura”
- Franklin Távora – “O Cabeleira” e “O Mulato”
- Visconde de Taunay – “Inocência”
- Manuel Antônio de Almeida – “Memórias de um Sargento de milícias”

Infinita é a alma daqueles que sonham

video

sábado, 28 de agosto de 2010

NÃO SE ESQUEÇA – DICAS DO PROF. ENIO

1 – Você sabia que a Língua Portuguesa já recebeu vários prêmios por sua estrutura tão bem elaborada e pela sua composição?


2 – Um garoto disse para o outro: “Eu prefiro futebol do que vôlei”. Qual é o erro?


Bem, a gramática nos ensina que aquele que prefere, prefere alguma coisa A outra e não DO QUE outra! Assim: “Eu prefiro futebol a vôlei”. O que acontece na verdade é que já estamos tão acostumados com as formas erradas que achamos que estas é que estão corretas...

Aprendeu?

Pra quem gosta de devaneios

O sonho é ver as formas invisíveis

Da distância imprecisa, e, com sensíveis

Movimentos da esperança e da vontade,

Buscar na linha fria do horizonte

A árvore, a praia, a flor, a ave, a fonte

Os beijos merecidos da Verdade.


                                     Fernando Pessoa

Seguindo estrelas...

Aos que sabem que a vida é constituída por instantes marcantes.

Saudações!

Olá pessoal!
É com muita honra que os recebo aqui em meu blog para compartilharmos os mais diversificados assuntos, principalmente no que diz respeito à arte de falar e escrever bem!
Sejam todos bem-vindos!